Ferramentas Pessoais
Você está aqui: Página Inicial / As Origens do programa Gestão de Instituições de Microfinanças

As Origens do programa Gestão de Instituições de Microfinanças

No ano 2000, a Organização Internacional do Trabalho (OIT) começou a realizar cursos de formação em gestão para Instituições de Microfinanças (IMF), quer no seu Centro Internacional de Formação em Turim quer em países em desenvolvimento e em transição. No entanto, rapidamente se tornou evidente que a demanda desse tipo de formação excedia em larga medida a oferta que a própria OIT conseguia proporcionar. As IMF estavam crescendo e estavam tipicamente assegurando o seu crescimento promovendo os seus melhores oficiais de empréstimo para cargos de gestão intermédia. Muito poucos receberam formação ou coaching de forma sistemática sobre gestão antes de assumirem as suas responsabilidades gerenciais, e isso estava aumentando o risco de exposição das IMF e condicionando também o seu crescimento. Gerentes intermédios mal preparados corriam o risco não apenas de tomar decisões erradas como também de serem ineficazes em transmitir a outros a capacidade de implementar decisões corretas. As instituições necessitavam de um mecanismo rápido e eficiente em termos de custo para fortalecer a sua capacidade de gestão intermédia.

Embora existissem inúmeros curricula de formação para gerentes de microfinanças, eles tendiam a se concentrar em áreas técnicas específicas, eram entregues apenas em um país, ou estavam disponíveis apenas em uma ou duas línguas. Para assegurar a capacitação de forma rápida e massiva ao nível da gestão intermédia, este setor necessitava de um currículo holístico que pudesse ser entregue com qualidade por formadores locais em muitos lugares e em muitas línguas, com adaptações, quando apropriado, ao contexto local.

Entre 2003 e 2006, a OIT reorganizou o seu pacote de materiais de formação em gestão de microfinanças num formato que podia ser implementado pelos prestadores da formação em países em desenvolvimento e em transição, e criou um processo rigoroso de certificação em três fases para promover a capacitação de pessoas-recurso locais, de modo a entregar o conteúdo com padrões de qualidade específicos.

O primeiro volume dos materiais de formação foi publicado como Gestão de Instituições de Microfinanças: Gestão para um Melhor Desempenho em 2006. O segundo volume foi publicado como

Gestão de Instituições de Microfinanças: Gestão da Diversificação do Produto em 2011. Desenhado originalmente como a sexta secção do primeiro volume, o conteúdo do segundo volume foi retirado e elaborado depois de participantes dos testes piloto ao Volume I terem solicitado mais informações sobre opções de produtos e mais tempo para discutir questões relacionadas com a diversificação do produto.